Projeto Aú Projeto Aú
Projeto articula ações extensionistas na capoeira O projeto Aú: A UFBA e os/as Mestres/as de Capoeira, promovido pela Pró-Reitoria de Extensão (PROEXT), realizou uma série... Projeto Aú

Projeto articula ações extensionistas na capoeira

O projeto Aú: A UFBA e os/as Mestres/as de Capoeira, promovido pela Pró-Reitoria de Extensão (PROEXT), realizou uma série de atividades na Praça das Artes, no Campus de Ondina, no último mês de novembro. A programação contou com rodas de capoeira e rodas de conversa com a presença de reconhecidos/as mestres/as da capoeira, que contribuíram para estreitar ainda mais a relação da comunidade universitária com uma das mais fortes manifestações das culturas tradicionais brasileiras.

é o segundo projeto piloto do Programa Desfronteiras, um conjunto de ações continuadas na área de capoeira promovidas pela PROEXT, a partir de um grupo de trabalho formado pelos professores Pedro Abib, Mestra Janja, Guilherme Bertissolo, o servidor Paulo Magalhães, com apoio técnico de Deivison Santos (Dentinho).

Em 2016, oito reconhecidos/as Mestres/as da Capoeira (Pelé, Bola Sete, Nenel, Cafuné, Cobra Mansa, Janja, Boca Rica e Virgílio) participam de eventos com a comunidade da UFBA e os participantes dos grupos envolvidos, em rodas de conversas, rodas e oficinas de capoeira, com a perspectiva de construção de articulações entre os saberes, reconhecendo o notório saber dos mestres, com vistas ao fortalecimento das ações extensionistas na capoeira.

A abertura das atividades contou com a participação do Mestre Pelé da Bomba e Mestre Bola Sete, da Associação Brasileira de Capoeira Angola (ABCA). Um dos mais antigos mestres de capoeira angola em atividade, Pelé falou sobre a sua vivência em shows folclóricos de capoeira realizados desde os anos 60. Já o Mestre Bola Sete, que tem dois livros publicados pela Editora Universitária (Edufba), recordou a “época de valentões”, em que havia disputas de grupos de capoeiristas no centro histórico da cidade de Salvador.

Os convidados do dia seguinte foram os Mestre Nenel e Cafuné, ambos alunos do Mestre Bimba, criador da capoeira regional. Nenel é inclusive filho carnal de Bimba. O tema central deste momento abordou os fundamentos da capoeira regional e a preocupação em manter o legado da capoeira que foi deixado pelo Mestre Bimba. O dia escolhido para esse encontro, 23 de novembro, é a data de celebração do aniversário de nascimento do Mestre Bimba.

Participaram ainda do projeto o Mestre Cobra Mansa – um dos criadores do maior grupo de capoeira angola do mundo, a Fundação Internacional de Capoeira de Angola (FICA), e a Mestra Janja, do grupo Nzinga. Durante as conversas foram abordados temas como cultura negra, africanidades, capoeira angola, saberes populares e sua relação com a academia. Ambos representam também o Grupo de Capoeira Angola Pelourinho (GCAP).

As mudanças por que vem passando a capoeira ao longo do tempo foram abordadas no encerramento do evento, com intervenções dos Mestres Virgílio e Boca Rica, este último, inclusive, foi aluno do Mestre Pastinha e é um grande cantador da capoeira, com vários discos gravados. Mestre Virgílio falou sobre o seu trabalho com a capoeira na Fazenda Grande do Retiro e a sua vivência com tradicionais Mestres da capoeira, entre os quais os Mestres Valdemar, Caiçara e Espinho Remoso – de quem ele é filho.

Em paralelo ao evento, a UFBA sediou no mês de novembro o I Encontro do Coletivo Ginga de Angola – coletivo que se organiza como um projeto de extensão que oferece aulas regulares na Escola de Dança e que trabalha com a cultura popular afro-brasileira através da prática, pesquisa e articulação de políticas públicas. O encontro promoveu oficinas e apresentações de manifestações artísticas diversas, entre as quais o samba de roda, jongo e tambor de crioula, além, é claro, de rodas de capoeira.

admin

No comments so far.

Be first to leave comment below.

Your email address will not be published. Required fields are marked *